sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Instalando dispositivo de CERCAGADO



Se não, o boi come a RPT.

Pescadinha é bom???


Quém chegar em 02 (DOIS) minutos, pode degustar essas deliciosas pescadinhas.
Endereço: 1ª á direita, depois vire á esquerda, ande uns 20 km, ok, tá quase chegando...

Uma foto vale por mil palavras...

* Radioamador usanso de subterfugio (Siri) , engana colega e pega o rango na casa Dele.
Acostumado a dar TVI nos vizinhos, o colega da foto (ao centro) coloca o rádio de VHF em cima do micro ondas, no intúito da aumentar a radiofrequência e consequentemente ficar famoso nas rendondezas.
* Observam tambem o "arranjo" próximo ao rádio ( que GUT GUT ).


Familia de Dª Edna e Reinaldo PP1 ER.


Em destaque é a Srtª. Victória, ao fundo (sem camisa) futuro radioamador Victor e Dª. Edna ao lado do marido Reinaldo(PP1 ER), que como vocês estão vendo sempre veste a camisa da Empresa.
OI TELEMAR: "Gente qua faz a diferença"

RADIOAMADOR - ESTAÇÃO MÓVEL X POLÍCIA RODOVIÁRIA

Orientação jurídico-radioamadorística:sobre a competência da Policia Rodoviária Federal ou Polícia Militar em verificar estação móvel de radioamador, procedimentos.Matéria jurídico-radioamadorística, sobre como o radioamador pode deparar-se com uma "blits" policial e ser perquirido sobre sua estação móvel de radioamador, teria a Polícia tal competência? Como proceder em tais situações? Quais as consequências?
Ouçam o áudio da entrevista no site:
http://www.pu6ese.qtcbrasileiro.qsl.br/

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Pico do Itapeva - Procurando DX






Que tal um DX?

Para quem tá procurando o Alexandre aí está o seu novo QTH

Já que não possuímos autorização... preferimos descaracterizar a imagem com tarjas pretas.

PU1 BRD JBandido.


Falando, e pensando na amada!!!

Palitador de PC


Uns palitam rádos, outros pescam e tem gente que palita computador.

Tentando se esconder


JBandido, quase conseguiu fugir da câmera.

IZAIS - PU1 DSY de visual novo !!!



Parece um Judeu ou Turco, de repente é parente do Charles.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Colisão de satélites Russo e Norte-Americano desperta alerta geral sobre atividades espaciais


A colisão entre um satélite norte-americano e um russo sobre a Sibéria pode ter sido acidental e o primeiro incidente do tipo, mas especialistas afirmam que outras colisões inevitavelmente vão ocorrer e poderão ter consequências geopolíticas.

"Esse é um acontecimento que nos faz perceber de fato que as coisas não são tão simples como pensávamos", disse Francisco Diego, pesquisador nas áreas de física e astronomia da University College London.

"Eu não seria capaz de calcular a probabilidade de isso acontecer de novo, mas agora que aconteceu, isso muda muito as coisas e se torna uma preocupação."

A colisão, entre uma espaçonave operada pelo grupo de comunicação norte-americano Iridium Satellite LLC e o satélite militar russo Cosmos-2251, aconteceu 780 quilômetros acima do Ártico russo na tarde de terça-feira.

A colisão provocou o lançamento de ao menos 600 fragmentos para o espaço, afirmaram as autoridades, aumentando o risco de outros satélites serem atingidos e danificados. Inclui-se entre deles a grande Estação Espacial Internacional, que está em órbita a 350 quilômetros de altura.

Há aproximadamente 18 mil objetos feitos pelo homem no espaço, incluindo satélites em operação e desativados, propulsores de foguetes usados e entulhos. Especialistas afirmam que embora o risco de colisões entre satélites como a ocorrida na terça seja muito pequeno, agora que aconteceu um, é maior a probabilidade de que outro ocorra.

"O problema com colisões como essa é que elas não destroem os satélites, apenas criam satélites menores, como armas em rápida movimentação, que podem causar muito mais danos", disse Diego.

Andrew Brookes, analista aeroespacial do Instituto Internacional para Estudos Estratégicos, afirmou que a área onde a colisão aconteceu -- chamada órbita baixa da Terra -- é a parte mais repleta de objetos no espaço e também uma das mais importantes para as comunicações, para a ciência e os satélites meteorológicos.

A probabilidade de colisões aumenta nessa faixa pela densidade dos objetos e torna urgente que o mundo estabeleça um protocolo mais detalhado regulamentando os movimentos dos satélites, afirmou ele.

Protocolo espacial

"Isso vai acontecer mais e mais vezes porque, basicamente, há cada vez mais coisas, satélites e lixo espacial ali nessa órbita baixa da Terra", disse Brookes.

"Estamos pedindo algum tipo de regulamentação, mas as pessoas não estão compartilhando (informações), porque boa parte é confidencial. As grandes potências não estão querendo se sentar e resolver a questão de forma adulta."

Há dois anos a China fez uma experiência para destruir um satélite, formando milhares de fragmentos de entulho espacial. Embora alguns sejam pequenos, eles viajam a milhares de km/h e podem causar um enorme estrago.

O risco de um lixo espacial chinês destruir um satélite secreto norte-americano, por exemplo, ou de que entulho dos EUA atinja um satélite iraniano implica sérias conseq¼ências.

A colisão foi confirmada por autoridades russas e norte-americanas na quarta-feira. O Comando Estratégico dos EUA disse acreditar que essa tenha sido a primeiro do tipo entre satélites em órbita.

A União Europeia pediu na quinta-feira que os países adotem um código de conduta para atividades civis e militares no espaço, parte de uma iniciativa para evitar emergências ambientais e o risco de o espaço se tornar uma nova fronteira de conflitos.

Fonte: Reuters

Curso de confecção de antenas wireless

A Comunidade acadêmica Tecnociência abriu inscrições para o treinamento em montagem de antenas profissionais para redes wireless. O treinamento é indicado para empresas e profissionais que desejam criar suas próprias antenas ou iniciar comercialmente a fabricação e comercialização destes produtos.


O treinamento é dividido por módulos independentes e os interessados poderão adquirir todas as instruções detalhadas de como desenvolver um determinado modelo de antena. Cada módulo é acompanhado por um kit contendo uma antena para montagem, além de fôrmas para as bobinas e demais componentes. Também acompanha uma apostila impressa no estilo passo a passo com todas as dicas e informações detalhadas sobre o modelo escolhido e um software para os cálculos de diâmetros.

O treinamento é ideal para todo tipo de empresas usuária e técnicos instaladores do sistema wireless. Após o estudo e montagem da antena o aluno estará em condições de confeccionar profissionalmente o modelo estudado, identificar produtos de qualidade ou reparar possíveis problemas nas antenas.

O primeiro módulo disponível para o treinamento é referente ao modelo Omni 8 dbi.

Interessados devem solicitar informações pelo e-mail: suporte@tecnociencia.com.br


REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
INTERNET, Curso de confecção de antenas wireless, in http://under-linux.org/5356-curso-de-confeccao-de-antenas-wireless.html, capturado em 22/02/2009.

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Falando por gesto!!!


Segundo JB, por gesto, quer dizer que: que a ANTA (não ofenda o pobre animal) está , quer dizer: aparenta leves sintomas de embriaguês alcoolica.

Sempre Sóbrio.


Apesar da lata na mão, Pereira está sempre sóbrio, bêbado é vovózinha!!!




Miojinho "que bonitinho"







Observe a "cena" abaixo...




Antes... só alegria


ni ki


..depois bate uma deprê...
é o preço da maldita.

Santos Dumont na Madalena.



Herdeiro da familia Dumont
em visita ao Espirito Santo.

Pescando na ponte da Madalena - Barra do Jucú / Vila Velha - ES - BRASIL.



Familia unida...







...pesca unida.

Dia do Camarão Pitú - QTH do PU1HLB